Autor: jjbarcellos

Boa vida

Visualize o caminho e siga!

Anúncios

Chega a contenção

O governo federal vai enviar mais policiais para o Rio de Janeiro, isso significada que os governos estadual e federal querem dar uma demostração simbólica de controle territorial, o problema que esse tipo de ação não chega a aranhar a questão principal.

Nossa política anti droga não está produzindo efeito positivo na vida da população só está multiplicando os conflitos armados em vários espaços geográficos da cidade. Essa é a verdadeira questão, não conseguimos como sociedade organizada sob um conjunto de leis, estabelecer parâmetros realistas para a convivência com os diversos tipos de drogas que circulam livremente entre a população.

Sabemos que o negócio de produção e venda de substâncias psicoativas, gera bilhões de dólares de lucro por ano, qualquer atividade que consegue gerar tamanha riqueza jamais será destruído por políticas repressivas que só ataquem o revendedor final, a cadeia produtiva da droga é imensa em bem articulada, os grandes empresários do ramo conseguem lavar seus dinheiros em negócios multimilionário e legais, fazendo com que esse dinheiro entre na economia das nações e vire um fator de influência politica partidária.

Os movimentos civis devem trazer para o debate a questão das drogas em nossa sociedade de forma não dogmática e apartidária, nesse momento as mortes relativas ao confronto diário em espaços geográficos secundários está dizimando jovens que defendem nossa sociedade (policiais) e jovens revendedores de drogas (traficantes), sem contar com os chamados danos colaterais (vitimas inocentes) dessa guerra, em comum todas essas pessoas tem a pobreza como condição social para uni-los na tragédia.

 

A cidade partida

Ontem a cidade do Rio de Janeiro viveu mais um dia de guerra, um dia normal dentro da rotina da cidade sitiada pelo medo, centenas de crianças não foram a escola, não brincaram na rua e mais uma vez tiveram suas vidas e rotina atreladas a violência.

Essa violência que o cidadão assiste na sua televisão ou vivência quando passa pelas vias que cortam esse mundo, tornou-se um beco sem saída para milhares de pessoas, o estado não tem condições matérias para conter os grupos que lutam pelo domínio territorial nas diversas comunidades do Brasil. Em alguns bairros de todas as cidades desse país, estamos vendo aos pouco as barricadas tomarem as ruas, delimitarem os espaços públicos, segregando um população, tomando do estado as suas funções sociais e impondo uma ordem que não é baseada no contrato social mas sim na força bruta.

Olhamos para essa situação a distância, não temos nada a ver com isso é o senso comum gritando em nossas caras, mas estamos profundamente errados, não se pode dividir uma cidade nem um país sem que todos sofram as consequências. O que estamos assistindo é a concretização de séculos de descaso e hipocrisia com as condições de educação, profissionalização e bem estar da população com menor poder aquisitivo, população essa majoritariamente negra.

Está mais que na hora do cidadão, começar a olhar para essa realidade e começar a apoiar, politicas que visem melhorar a distribuição de renda e oportunidades para todos, por que não se iludam por nenhum tipo de pensamento mágico. As barricadas continuaram avançando sobre a cidade, não existe segurança para os nossos filhos se os filhos dos outros não estão seguros.